janumet


RESULTADOS: 18

  •     FARMA DELIVERY
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 850MG COM REV CT BL AL AL X 28
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708173
     
    PMC: 113.69
  •      R$ 117.65
     
  •     FARMA 22
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 1000MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708203
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 152.00
     
  •     FARMA 22
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 500MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708166
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 152.89
     
  •     FARMA 22
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 850MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708180
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 152.89
     
  •     FARMA DELIVERY
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 1000MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708203
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 157.66
     
  •     FARMA DELIVERY
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 500MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708166
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 157.66
     
  •     FARMA DELIVERY
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 850MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708180
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 157.66
     
  •     FARMA DELIVERY
  •      JANUMET XR
  •      Apresentação: 50/1000 MG COM REV LIB PROL OR CT FR PLAS OPC X 60
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337711067
     
    PMC: 225.35
  •      R$ 171.51
     
  •     FARMA DELIVERY
  •      JANUMET XR
  •      Apresentação: 100 MG/1000 MG COM REV LIB PROL OR CT FR PLAS OPC X 30
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337711081
     
    PMC: 241.42
  •      R$ 174.89
     
  •     FARMA DELIVERY
  •      JANUMET XR
  •      Apresentação: 50MG/500MG COM REV LIB PROL OR CT FR PLAS OPC X 60
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337711029
     
    PMC: 241.42
  •      R$ 175.00
     
  •     DROGARIA PRIMUS
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 850MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708180
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 194.01
     
  •     DROGARIA PRIMUS
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 500MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708166
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 194.01
     
  •     AGILLE MEDICAMENTOS
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 1000MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708203
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 216.01
     
  •     AGILLE MEDICAMENTOS
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 500MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708166
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 216.01
     
  •     AGILLE MEDICAMENTOS
  •      JANUMET
  •      Apresentação: 50 MG / 850MG COM REV CT BL AL AL X 56
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337708180
     
    PMC: 227.4
  •      R$ 216.01
     
  •     AGILLE MEDICAMENTOS
  •      JANUMET XR
  •      Apresentação: 50/1000 MG COM REV LIB PROL OR CT FR PLAS OPC X 60
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337711067
     
    PMC: 225.35
  •      R$ 216.99
     
  •     DROGARIA FALCÃO
  •      JANUMET XR
  •      Apresentação: 50MG/500MG COM REV LIB PROL OR CT FR PLAS OPC X 60
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337711029
     
    PMC: 241.42
  •      R$ 222.09
     
  •     AGILLE MEDICAMENTOS
  •      JANUMET XR
  •      Apresentação: 50MG/500MG COM REV LIB PROL OR CT FR PLAS OPC X 60
  •      Princípio Ativo: FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA...
  •      Fabricante: MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA
  •      Categoria: Referência
  •      EAN:  7897337711029
     
    PMC: 241.42
  •      R$ 232.46
     



 INFORMAÇÕES DO MEDICAMENTO


FOSFATO DE SITAGLIPTINA;CLORIDRATO DE METFORMINA


Para que serve o Fosfato de Sitagliptina + Cloridrato de Metformina

Fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento) é indicado como terapia inicial em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 para melhorar o controle glicêmico quando dieta e exercícios não proporcionam controle glicêmico adequado.

Fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento) é indicado como adjuvante à dieta e à prática de exercícios para melhorar o controle glicêmico de pacientes com diabetes mellitus tipo 2 inadequadamente controlados com metformina ou sitagliptina isoladamente ou para pacientes que já começaram o tratamento combinado com sitagliptina e metformina em comprimidos separados.

Fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento) é indicado como parte da terapia de combinação tripla com uma sulfonilureia como adjuvante à dieta e exercícios em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 inadequadamente controlado com qualquer dois destes três agentes: metformina, sitagliptina ou uma sulfonilureia.

Fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento) é indicado como parte da terapia de combinação tripla com um agonista de PPARγ (isto é, tiazolidinedionas) como adjuvante à dieta e exercícios em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 inadequadamente controlado com qualquer dois destes três agentes: metformina, sitagliptina ou um agonista de PPARγ.

Fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento) é indicado em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 como adjuvante à dieta e exercícios para melhorar o controle glicêmico em combinação com insulina.

Contraindicação do Fosfato de Sitagliptina + Cloridrato de Metformina

Fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento) é contraindicado para pacientes com:

  1. Nefropatia ou disfunção renal, como níveis de creatinina sérica ≥1,5 mg/dL (homens), ≥1,4 mg/dL (mulheres) ou depuração anormal de creatinina, que podem também resultar de choque cardiovascular, infarto agudo do miocárdio e septicemia, por exemplo.
  2. Hipersensibilidade conhecida ao fosfato de sitagliptina, ao cloridrato de metformina ou a qualquer outro componente de fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento).
  3. Acidose metabólica aguda ou crônica, incluindo cetoacidose diabética, com ou sem coma. Fosfato de sitagliptina + cloridrato de metformina (substância ativa deste medicamento) deve ser descontinuado temporariamente em pacientes que serão submetidos a estudos radiológicos com administração de material de contraste iodado, porque o uso de tais produtos podem resultar em alteração aguda da função renal.

 

Características farmacológicas

Mecanismo de ação

Este medicamento combina dois agentes antidiabéticos com mecanismos de ação complementares para melhorar o controle da glicemia em pacientes com diabetes mellitus tipo 2: fosfato de sitagliptina, um inibidor da dipeptidil peptidase 4 (DPP-4) e cloridrato de metformina, membro da classe das biguanidas.

Fosfato de sitagliptina:

O fosfato de sitagliptina é membro de uma classe de agentes antidiabéticos orais denominada inibidores da dipeptidil peptidase 4 (DPP-4), que melhoram o controle glicêmico em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 por meio do aumento dos níveis de hormônios incretina ativos. Os hormônios incretina, inclusive o peptídeo-1 glucagon símile (GLP-1) e o peptídeo insulinotrópico dependente de glicose (GIP), são liberados pelo intestino ao longo do dia e seus níveis aumentam em resposta a uma refeição. As incretinas são parte de um sistema endógeno envolvido na regulação fisiológica da homeostase da glicose. Quando as concentrações sanguíneas de glicose estão normais ou elevadas, o GLP-1 e o GIP aumentam a síntese e a liberação de insulina pelas células β pancreáticas por meio de vias sinalizadoras intracelulares que envolvem o AMP cíclico.

O tratamento com GLP-1 ou com inibidores da DPP-4 em modelos animais com diabetes mellitus tipo 2 demonstrou melhorar a responsividade das células β à glicose circulante e estimular a biossíntese e a liberação de insulina. Com níveis de insulina mais altos, a captação tecidual de glicose é aumentada. Além disso, o GLP-1 modula a hipersecreção de glucagon pelas células α pancreáticas. A redução das concentrações de glucagon, associada a níveis mais altos de insulina, resulta em maior captação tecidual de glicose, redução da produção hepática de glicose e consequente redução da glicemia. Os efeitos de GLP-1 a GIP são dependentes de glicose quando as concentrações sanguíneas de glicose estão baixas, não são observadas estimulação da liberação de insulina e supressão da secreção de glucagon pelo GLP-1. Para ambos GLP-1 e GIP, a estimulação da liberação da insulina é melhorada com o aumento da glicose acima da concentração normal. Além disso, o GLP-1 e o GIP não impedem a resposta normal do glucagon à hipoglicemia. A atividade do GLP-1 e do GIP é limitada pela enzima DPP-4, que hidrolisa rapidamente os hormônios incretina para gerar produtos inativos. A sitagliptina evita a hidrólise dos hormônios incretina pela DPP-4, aumentando consequentemente as concentrações plasmáticas das formas ativas de GLP-1 e GIP. Ao aumentar os níveis de incretina ativa, a sitagliptina aumenta a liberação de insulina e diminui os níveis de glucagon de forma dependente da glicose. Em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 com hiperglicemia, essas alterações nos níveis de insulina e de glucagon resultam em níveis mais baixos de hemoglobina A1c (HbA1c) e concentrações mais baixas da glicemia de jejum e pós-prandial. Esse mecanismo dependente de glicose é diferente do mecanismo das sulfonilureias, que aumenta a secreção da insulina mesmo quando os níveis de glicose são baixos, e podem levar à hipoglicemia em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 e em indivíduos normais. Embora a sitagliptina seja um inibidor potente e altamente seletivo da enzima DPP-4, ela não inibe as enzimas estreitamente relacionadas DPP-8 ou DPP-9. A inibição da DPP-8 ou da DPP-9, mas não da DPP-4, está associada à toxicidade nos modelos animais pré-clínicos e a alteração da função imunológica in vitro.

Cloridrato de metformina:

A metformina é um agente antidiabético que melhora a tolerância à glicose em pacientes com diabetes mellitus tipo 2, diminuindo a glicemia de jejum e pós-prandial. Farmacologicamente, o mecanismo de ação é diferente de outras classes de agentes antidiabéticos orais. A metformina diminui a produção hepática de glicose, diminui a absorção da glicose pelo intestino e melhora a sensibilidade à insulina, aumentando a captação e a utilização periférica da glicose. Diferentemente das sulfonilureias, a metformina não causa hipoglicemia em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 ou indivíduos normais (exceto em circunstâncias especiais,e não causa hiperinsulinemia. O tratamento com metformina não altera a secreção de insulina, embora os níveis de insulina em jejum e a resposta de insulina ao longo do dia possam, na verdade, diminuir.

Farmacocinética

Os resultados de um estudo de bioequivalência em indivíduos saudáveis demonstraram que os comprimidos combinados de sitagliptina e metformina 50 mg/500 mg e 50 mg/1.000 mg são bioequivalentes à coadministração das doses correspondentes de fosfato de sitagliptina e cloridrato de metformina em comprimidos individuais. Como a bioequivalência é demonstrada por meio da combinação de comprimidos da mínima e máxima dose disponível, a bioequivalência é conferida com a combinação em comprimido único para a dose de 50 mg/850 mg.

Absorção

Fosfato de sitagliptina:

A biodisponibilidade absoluta da sitagliptina é de aproximadamente 87%. A coadministração de uma refeição rica em gorduras com fosfato de sitagliptina não exerceu efeito na farmacocinética.

Cloridrato de metformina:

A biodisponibilidade do comprimido de 500 mg de cloridrato de metformina administrado em jejum é de aproximadamente 50–60%. Estudos que utilizaram comprimidos de 500 mg a 1.500 mg e 850 mg a 2.550 mg de cloridrato de metformina indicaram que há falta de proporcionalidade da dose com titulações crescentes do medicamento, o que se deve à absorção diminuída em vez de alternância na eliminação. O alimento diminui a magnitude e atrasa ligeiramente a absorção da metformina, como mostrado por diminuição de aproximadamente 40% na média do pico de concentração plasmática (Cmáx), diminuição de 25% na área sob a curva (ASC) da concentração plasmática versus tempo e prolongamento de 35 minutos do tempo para atingir as concentrações plasmáticas máximas após a administração de um único comprimido de 850 mg de metformina com alimento, quando comparado com administração em jejum de um comprimido com a mesma concentração. A importância clínica desses decréscimos não é conhecida.

Distribuição

Fosfato de sitagliptina:

Após uma dose única de 100 mg de sitagliptina administrada por via intravenosa a indivíduos sadios, o volume médio de distribuição no estado de equilíbrio é de aproximadamente 198 litros. A fração da sitagliptina que se liga reversivelmente às proteínas plasmáticas é pequena (38%).

Cloridrato de metformina:

O volume de distribuição da metformina após dose única de um comprimido de 850 mg de cloridrato de metformina administrado via oral foi de 654 ± 358 L, em média. A ligação da metformina às proteínas plasmáticas é insignificante, diferentemente das sulfonilureias, cuja porcentagem de ligação proteica é de mais de 90%. A metformina se distribui nos eritrócitos mais provavelmente em função do tempo. Com os esquemas posológicos e as doses clínicas usuais dos comprimidos de cloridrato de metformina, a concentração plasmática da metformina no estado de equilíbrio é alcançada em 24-48 horas e é geralmente < 1 mcg/mL. Durante estudos clínicos controlados, os níveis máximos de metformina no plasma não excederam 5 mcg/mL, mesmo com as doses máximas.

Metabolismo

Fosfato de sitagliptina:

A sitagliptina é eliminada principalmente de forma inalterada na urina; o metabolismo é uma via de menor importância. Aproximadamente 79% da sitagliptina é excretada inalterada na urina.
Após uma dose oral de [14C]sitagliptina, aproximadamente 16% da radioatividade foi excretada na forma de metabólitos de sitagliptina. Seis metabólitos foram detectados em níveis-traço e não se espera que contribuam para a atividade inibitória de DPP-4 plasmática da sitagliptina. Estudos in vitro indicaram que a principal enzima responsável pelo metabolismo limitado da sitagliptina foi o citocromo P3A4, com contribuição do citocromo P2C8.

Cloridrato de metformina:

Um estudo com dose única por via intravenosa em indivíduos normais demonstrou que a metformina é excretada inalterada na urina e não é metabolizada no fígado (nenhum metabólito foi identificado em humanos), nem excretada na bile.

Eliminação

Fosfato de sitagliptina:

Após a administração de uma dose de [14C]sitagliptina por via oral a indivíduos sadios, aproximadamente 100% da radioatividade administrada foi eliminada na urina (87%) ou nas fezes (13%), uma semana após a administração. A t1⁄2 terminal aparente após uma dose de 100 mg de sitagliptina por via oral foi de aproximadamente 12,4 horas e a depuração renal foi de cerca de 350 mL/min.

A eliminação da sitagliptina ocorre principalmente por excreção renal e envolve secreção tubular ativa. A sitagliptina é um substrato para o transportador-3 aniônico orgânico humano (hOAT-3), que pode estar envolvido na eliminação renal da sitagliptina. A relevância clínica do hOAT-3 no transporte da sitagliptina não foi estabelecida. A sitagliptina também é um substrato da p-glicoproteína, que também pode estar envolvida na mediação da eliminação renal da sitagliptina; no entanto a ciclosporina, um inibidor da p-glicoproteína, não reduziu a depuração renal da sitagliptina.

Cloridrato de metformina:

A depuração renal é aproximadamente 3,5 vezes maior que a depuração da creatinina, o que indica que a secreção tubular é a principal rota de eliminação da metformina. Após a administração de uma dose oral, aproximadamente 90% do fármaco absorvido é eliminado por via renal nas primeiras 24 horas, com meia-vida de eliminação plasmática de aproximadamente 6,2 horas. No sangue, a meia-vida de eliminação é de aproximadamente 17,6 horas, sugerindo que a massa de eritrócitos pode ser um compartimento de distribuição.

Características nos pacientes

Diabetes mellitus tipo 2

Fosfato de sitagliptina:

A farmacocinética da sitagliptina em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 é, em geral, semelhante à de voluntários sadios.

Cloridrato de metformina:

Na presença de função renal normal, não há diferenças entre a farmacocinética de metformina em dose única ou em dose múltipla entre pacientes com diabetes mellitus tipo 2 e indivíduos normais, nem há qualquer acúmulo de metformina em ambos os grupos de doses clínicas habituais.

Insuficiência renal

Este medicamento não deve ser usado em pacientes com insuficiência renal.

Fosfato de sitagliptina:

Em comparação com os voluntários sadios de controle, observou-se aumento de aproximadamente 2 vezes na AUC plasmática da sitagliptina em pacientes com insuficiência renal moderada e aumento de aproximadamente 4 vezes em pacientes com insuficiência renal grave e naqueles com IRT em hemodiálise.

Cloridrato de metformina:

Em pacientes com função renal reduzida (com base em medidas de depuração de creatinina), a meia-vida sanguínea e plasmática de metformina é prolongada e a depuração renal é reduzida em proporção à redução da depuração da creatinina.

Insuficiência hepática

Fosfato de sitagliptina:

Após a administração de uma dose única de 100 mg de fosfato de sitagliptina a pacientes com insuficiência hepática moderada (escore de Child-Pugh de 7 a 9), a AUC média e a Cmáx da sitagliptina aumentaram aproximadamente 21% e 13%, respectivamente, em comparação aos controles pareados sadios. Essas diferenças não são consideradas clinicamente significativas.

Não existe experiência clínica em pacientes com insuficiência hepática grave (escore de Child-Pugh >9). No entanto, como a sitagliptina é eliminada principalmente por via renal, não se espera que a insuficiência hepática grave afete a farmacocinética da sitagliptina

Cloridrato de metformina:

Nenhum estudo de farmacocinética de metformina foi conduzido em pacientes com insuficiência hepática.

Sexo

Fosfato de sitagliptina:

O sexo não exerceu efeito clinicamente significativo na farmacocinética da sitagliptina com base em uma análise composta dos dados de farmacocinética de estudos fase I e em uma análise dos dados de farmacocinética populacional de estudos fases I e II.

Cloridrato de metformina:

Os parâmetros farmacocinéticos de metformina não foram significativamente diferentes entre indivíduos normais e pacientes com diabetes tipo 2 quando analisados de acordo com o sexo. De forma similar, em estudos clínicos controlados em pacientes com diabetes tipo 2 o efeito antidiabético de metformina foi comparável em machos e fêmeas.

Pacientes idosos

Fosfato de sitagliptina:

A idade não exerceu impacto clinicamente significativo na farmacocinética da sitagliptina com base em uma análise dos dados da farmacocinética populacional de estudos fases I e II. Os voluntários idosos (65 a 80 anos de idade) apresentaram concentrações plasmáticas de sitagliptina aproximadamente 19% mais altas em comparação com os voluntários mais jovens.

Cloridrato de metformina:

Dados limitados de estudos controlados de farmacocinética da metformina em indivíduos idosos saudáveis sugerem que a depuração plasmática total de metformina é reduzida, a meia-vida é prolongada e a Cmáx é aumentada, quando comparados a indivíduos jovens sadios. A partir desses dados, torna-se visível que a alteração na farmacocinética da metformina devido à idade é explicada pela alteração na função renal.

O tratamento com este medicamento não deve ser iniciado em pacientes ≥80 anos de idade a menos que os valores de depuração de creatinina demonstrem que a função renal não está reduzida.

Pacientes pediátricos

Não foram conduzidos estudos com a combinação de sitagliptina e metformina em pacientes pediátricos.

Raça

Fosfato de sitagliptina:

A raça não exerceu efeito clinicamente significativo na farmacocinética da sitagliptina com base em uma análise composta dos dados de farmacocinética de estudos fase I e em uma análise de dados de farmacocinética populacional de estudos fases I e II, que incluíram indivíduos brancos, hispânicos, negros, asiáticos e de outros grupos raciais.

Cloridrato de metformina:

Nenhum estudo de parâmetros farmacocinéticos da metformina foi conduzido de acordo com a raça. Em um estudo clínico controlado de metformina em pacientes com diabetes tipo 2, o efeito antidiabético foi comparável em brancos (n=249), negros (n= 51), e hispânicos (n=24).

Índice de massa corporal (IMC)

Fosfato de sitagliptina:

O índice de massa corporal não exerceu efeito clinicamente significativo na farmacocinética da sitagliptina com base em uma análise composta dos dados de farmacocinética de estudos fase I e em uma análise dos dados de farmacocinética populacional de estudos fases I e II.

Farmacodinâmica

Fosfato de sitagliptina:

Em pacientes com diabetes mellitus tipo 2, a administração de doses únicas de sitagliptina por via oral leva à inibição da atividade enzimática da DPP-4 por um período de 24 horas, o que resulta em aumento de 2 a 3 vezes nos níveis circulantes de GLP-1 e GIP ativos, aumento dos níveis plasmáticos de insulina e de peptídeo-C, redução das concentrações de glucagon, da glicemia de jejum e dos picos de glicose após sobrecarga oral de glicose ou refeição.

Nos estudos clínicos fase III, com duração de 18 e 24 semanas, o tratamento com 100 mg/dia de sitagliptina em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 melhorou significativamente a função da célula β, conforme avaliado por vários marcadores, inclusive HOMA-β (Modelo de Avaliação de Homeostase – células β), razão pró-insulina:insulina e medidas de responsividade da célula β ao teste de tolerância a refeições seriadas. Nos estudos fase II, a administração de 50 mg de sitagliptina duas vezes ao dia proporcionou eficácia glicêmica semelhante em comparação com a dose de 100 mg uma vez ao dia.

Em um estudo randômico, duplo-cego, duplo-mascarado, controlado com placebo, com quatro períodos cruzados de dois dias que envolveu indivíduos adultos sadios, os efeitos nas concentrações plasmáticas das formas ativa e total de GLP-1 e nas concentrações de glicose após coadministração de sitagliptina e metformina foram comparados aos observados depois da administração de sitagliptina, metformina ou placebo isoladamente. A média ponderada da concentração de GLP-1 ativo incrementada 4 horas após alimentação aumentou aproximadamente 2 vezes depois da administração de sitagliptina isoladamente ou da metformina isoladamente, em comparação com o placebo. O efeito nas concentrações de GLP 1 ativo após coadministração de sitagliptina e metformina foi aditivo e essas concentrações aumentaram aproximadamente 4 vezes em comparação com o placebo. A sitagliptina isoladamente aumentou as concentrações de GLP-1 ativo, provavelmente refletindo a inibição da DPP-4, enquanto a metformina isoladamente aumentou, em uma mesma extensão, as concentrações de GLP-1 ativo e total, sugerindo um mecanismo diferente para esse aumento, principalmente em consequência do aumento das concentrações de GLP-1 total. Os resultados do estudo também demonstraram que a sitagliptina, mas não a metformina, aumenta as concentrações de GIP ativo.

Nos estudos com indivíduos sadios, a sitagliptina não diminuiu a glicemia ou causou hipoglicemia, sugerindo que as ações insulinotrópicas e supressoras de glucagon do fármaco são dependentes da glicose.

Efeitos na pressão arterial:

Em um estudo cruzado, randômico, controlado com placebo, conduzido em pacientes hipertensos que recebiam um ou mais anti-hipertensivos (inclusive inibidores da enzima conversora de angiotensina, antagonistas da angiotensina II, bloqueadores dos canais de cálcio, betabloqueadores e diuréticos), a coadministração com sitagliptina foi geralmente bem tolerada. Nesses pacientes, a sitagliptina exerceu efeito redutor discreto na pressão arterial; em comparação com o placebo, o tratamento com 100 mg/dia de sitagliptina reduziu a pressão arterial sistólica ambulatorial média de 24 horas em aproximadamente 2 mmHg. Não foram observadas reduções em indivíduos normotensos.

Eletrofisiologia cardíaca:

Em um estudo cruzado, randômico e controlado com placebo, 79 indivíduos saudáveis receberam uma dose única de 100 mg ou de 800 mg de sitagliptina (8 vezes a dose recomendada) por via oral e placebo. A dose recomendada de 100 mg não exerceu efeito no intervalo QTc, seja no tempo em que a concentração plasmática era máxima ou em qualquer outro ponto durante o estudo. Após a dose de 800 mg, a alteração máxima observada no intervalo QTc corrigida pelo placebo, três horas após a dose foi em média de 8,0 milissegundos em relação aos valores basais; esse pequeno aumento não foi considerado clinicamente significativo. As concentrações plasmáticas máximas de 800 mg de sitagliptina foram aproximadamente 11 vezes mais altas do que as concentrações máximas após uma dose de 100 mg. Os pacientes com diabetes mellitustipo 2 que receberam diariamente 100 mg (N= 81) ou 200 mg de sitagliptina (N= 63) não apresentaram alterações significativas no intervalo QTc com base nos dados de ECG obtidos no momento da concentração plasmática máxima esperada.



Assine nossa newsletter e receba as melhores promoções e ofertas de sua região




SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO DO FARMACÊUTICO OU DE SEU MÉDICO. LEIA A BULA.



Todas as informações contidas nesse site tem a intenção de informar e educar, não pretendendo de forma alguma substituir as informações e orientações do profissional da saúde ou servir como recomendação para algum tratamento, não administre qualquer tipo de medicamento sem consultar o seu médico ou farmacêutico.