butacid


RESULTADOS: 0

Não foram encontrados resultados.



 INFORMAÇÕES DO MEDICAMENTO


FENILBUTAZONA CÁLCICA


Para que serve o Fenilbutazona Cálcica

Fenilbutazona Cálcica (substância ativa) é indicada para o tratamento de episódios de espondilite anquilosante, episódios agudos de gota e pseudogota e nos seguintes casos, quando não houver resposta satisfatória ao tratamento com outras substâncias anti-inflamatórias não esteroides: exacerbações agudas de artrite reumatoide, osteoartrose e formas agudas de reumatismo extra-articular.

Contraindicação do Fenilbutazona Cálcica

Fenilbutazona Cálcica (substância ativa) é contraindicada nos seguintes casos

  • Histórico ou sintomas de dispepsia ou inflamação gastrintestinal ou ulceração;
  • Discrasia sanguínea (ou história pregressa de discrasia sanguínea);
  • Diáteses hemorrágicas (trombocitopenia, distúrbios da coagulação sanguínea, terapia de longo prazo com anticoagulante);
  • Insuficiência cardíaca, hepática ou renal grave;
  • Hipertensão arterial ou edema sistêmico;
  • Doenças da tireoide;
  • Hipersensibilidade aos derivados do pirazol;
  • Síndrome de Sjögren;
  • Polimialgia Reumática ou Arterite temporal;
  • Último trimestre de gravidez.

Como outros agentes anti-inflamatórios não esteroides, a Fenilbutazona Cálcica (substância ativa) é também contraindicada em pacientes nos quais os acessos de asma, urticária ou rinite aguda são desencadeados pelo ácido acetilsalicílico ou por outros medicamentos inibidores da prostaglandina-sintetase.

Como usar o Fenilbutazona Cálcica

Recomenda-se uma posologia individualizada de Fenilbutazona Cálcica (substância ativa), conforme quadro clínico, idade do paciente e suas condições gerais. Deve ser utilizada a menor dose que seja eficaz.

Sempre que possível, o tratamento não deverá exceder uma semana. Nos casos de tratamentos mais prolongados, devem ser tomados cuidados especiais.

Os comprimidos revestidos devem ser ingeridos inteiros, nas refeições, com um pouco de líquido.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Posologia

Doenças reumáticas

Primeiros dias

Dose diária de 2 a 3 comprimidos (400 mg a 600 mg), ao longo do dia.

Após

Dose diária de 1 comprimido (200 mg), que normalmente é suficiente.

Episódios agudos de gota

Nos primeiros dias do tratamento (de 1 a 3 dias): dose diária de 3 a 4 comprimidos (600 mg a 800 mg), em 2 a 3 tomadas ao dia.

Se necessário continuar o tratamento, a dose diária deve ser de 1 a 2 comprimidos (200 mg a 400 mg).

Reações Adversas do Fenilbutazona Cálcica

Distúrbios do Sistema Imune

Hipersensibilidade, Síndrome de Stevens-Johnson, Necrólise Epidermal Tóxica, Anafilaxia, Eritema Multiforme, Doença do Soro, Vasculite, Síndrome semelhante ao lúpus, pirexia e eritema nodoso.

Distúrbios da pele e tecido subcutâneo

Rash, purpura, reação de fotossensibilidade.

Distúrbios gastrintestinais

Dispepsia, dor epigástrica, náusea, vômito, estomatites, úlcera péptica, sialadenite, pancreatite, hemorragia gastrintestinal, diarreiaflatulênciaconstipaçãocolitegastriteesofagite, aumento da glândula salivar, boca seca, perfuração gastrintestinal.

Neoplasia benigna, maligna, não especificada (incluindo cistos e pólipos)

Leucemia.

Distúrbios do Sistema Nervoso Central

Dor de cabeça, estado de confusão, parestesia, neuropatia periférica, sonolência, agitação, tremor.

Distúrbios gerais e condições do local de administração

Astenia.

Distúrbios Metabólicos e nutricionais

Retenção de fluidos, edema, acidose metabólica, alcalose respiratória, hiperglicemia.

Distúrbios visuais

Deficiência visual, neurite ótica, hemorragia na retina, ambliopia, descolamento da retina.

Distúrbios do ouvido e labirinto

Súbita perda da audição, zumbido.

Distúrbios endócrinos

Bócio.

Distúrbios hepatobiliares

Hepatite.

Distúrbios renal e urinário

Nefrite, insuficiência renal, hematúria, proteinúria, necrose renal, síndrome nefrótica, anúria, nefrolitíase.

Distúrbios hematológicos e linfáticos

Leucopenia, trombocitopenia, agranulocitose, anemia aplásica, linfadenopatia, anemia hemolítica, aplasia da medula óssea.

Distúrbios Cardíacos

Insuficiência cardíaca congestiva, miocardite, pericardite.

Distúrbios Vasculares

Hipertensão.

Doenças respiratórias, torácicas e desordens mediastinais

Edema pulmonar.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária- NOTIVISA ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

 

 



Assine nossa newsletter e receba as melhores promoções e ofertas de sua região




SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO DO FARMACÊUTICO OU DE SEU MÉDICO. LEIA A BULA.



Todas as informações contidas nesse site tem a intenção de informar e educar, não pretendendo de forma alguma substituir as informações e orientações do profissional da saúde ou servir como recomendação para algum tratamento, não administre qualquer tipo de medicamento sem consultar o seu médico ou farmacêutico.