brometo de pancuronio


RESULTADOS: 0

Não foram encontrados resultados.



 INFORMAÇÕES DO MEDICAMENTO


BROMETO DE PANCURÔNIO


Para que serve o Brometo de Pancurônio

Este medicamento é indicado como adjuvante da anestesia geral, para facilitar a intubação traqueal e promover o relaxamento da musculatura esquelética durante os procedimentos cirúrgicos de média e longa duração. 

Indicado para pacientes hipoxêmicos resistindo à ventilação mecânica e cardiovascularmente instável quando o uso de sedativos é proibido; para pacientes com broncoespasmo que não respondem à terapia convencional; pacientes com tétano grave ou intoxicação por onde o espasmo muscular proíbe ventilação adequada; pacientes em estado de mal-epiléptico incapazes de manter sua própria ventilação; pacientes com tremores nos quais a demanda metabólica de oxigênio deve ser reduzida.

Contraindicação do Brometo de Pancurônio

Brometo de Pancurônio (substância ativa) é contraindicado para pacientes com miastenia grave e nos casos de reações anafiláticas/anafilactoides anteriores ao pancurônio ou ao íon brometo ou hipersensibilidade a qualquer componente de Brometo de Pancurônio (substância ativa).

Como usar o Brometo de Pancurônio

O medicamento deve ser utilizado conforme prescrição médica. O volume disponível em cada unidade não pode ser inferior ao volume declarado. Para retirada do conteúdo total do medicamento deve-se aspirar o volume declarado no item "Composição", podendo permanecer solução remanescente na ampola devido à presença de um excesso mínimo para permitir a retirada e administração do volume declarado. 

Brometo de Pancurônio (substância ativa) é administrado somente por via intravenosa, preferencialmente como injeção em bolus no equipo de infusão. 

Não existem dados suficientes para recomendar a administração por infusão contínua. 

Como os demais bloqueadores neuromusculares, Brometo de Pancurônio (substância ativa) deve ser administrado apenas por ou sob supervisão de médicos especializados e familiarizados com o uso e efeitos desses medicamentos. 

Posologia 

A dosagem de Brometo de Pancurônio (substância ativa) deve ser individualizada a cada paciente. A técnica anestésica usada, a provável duração da cirurgia, a possível interação com outros fármacos que forem administrados antes ou durante a anestesia e as condições do paciente devem ser levadas em consideração para se determinar a dose.

O uso de uma técnica apropriada de monitorização neuromuscular é recomendado para avaliar o bloqueio neuromuscular e sua recuperação. Os anestésicos inalatórios potencializam o efeito do bloqueio neuromuscular de Brometo de Pancurônio (substância ativa). No entanto, esta potencialização torna-se clinicamente relevante durante a anestesia quando os agentes voláteis alcançam as concentrações tissulares requeridas para a referida interação.

Consequentemente, os ajustes de dose de Brometo de Pancurônio (substância ativa) devem ser feitos pela administração de doses de manutenção menores em intervalos menos frequentes, durante procedimentos sob anestesia inalatória.

Em adultos, as doses apresentadas a seguir podem servir de diretriz para intubação traqueal e relaxamento muscular em procedimentos cirúrgicos de média a longa duração. 

É utilizado em clínica com dose inicial de 0,04 a 0,1 mg/kg, seguido de 0,01 a 0,02 mg/kg quando necessário, geralmente em intervalos compreendidos entre 20 e 40 minutos. 

Intubação traqueal 

A dose padrão para intubação durante anestesia de rotina é de 0,08 a 0,1 mg de Brometo de Pancurônio (substância ativa) por kg de peso corpóreo. 

Dentro de 90 a 120 segundos após a administração intravenosa de uma dose de 0,1mg de Brometo de Pancurônio (substância ativa) por kg de peso corpóreo e dentro de 120 a 180 segundos após uma dose de 0,08mg de Brometo de Pancurônio (substância ativa) por kg, já se desenvolvem as condições de intubação clinicamente aceitáveis.

O tempo desde a administração intravenosa até a recuperação de 25% da contratilidade muscular padrão é de aproximadamente 75 minutos após a dose de 0,08 mg de Brometo de Pancurônio (substância ativa)/kg e aproximadamente 100 minutos após a dose de 0,1 mg de Brometo de Pancurônio (substância ativa)/kg. 

Procedimentos cirúrgicos após intubação com suxametônio (succinilcolina) 

A dose recomendada é de 0,04 a 0,06 mg de Brometo de Pancurônio (substância ativa) por kg de peso corpóreo. 

Com essas doses, o tempo da administração intravenosa até a recuperação de 25% da contratilidade muscular padrão é de aproximadamente 22 a 35 minutos, dependendo da dose de suxametônio (succinilcolina) administrada. 

A administração de Brometo de Pancurônio (substância ativa) deve ser adiada até que o paciente apresente recuperação clínica do bloqueio neuromuscular induzido pelo suxametônio (succinilcolina). 

Manutenção do relaxamento muscular 

A dose de Brometo de Pancurônio (substância ativa) recomendada para a manutenção é de 0,01 a 0,02 mg/kg de peso corpóreo. A fim de se limitar efeitos cumulativos, recomenda-se administrar doses de manutenção de Brometo de Pancurônio (substância ativa) apenas quando houver recuperação de no mínimo 25% da contratilidade muscular padrão. 

Doses em pacientes obesos e com excesso de peso 

Quando utilizado em pacientes acima do peso ou obesos (definido como pacientes com massa corpórea de 30% ou mais acima do peso ideal), as doses devem ser reduzidas levando em consideração o peso corpóreo ideal. 

Doses na pediatria 

Estudos clínicos demonstraram que as doses necessárias para neonatos (0 a 1 mês) e crianças (1 a 12 meses) são comparáveis às doses necessárias para os adultos. Devido à sensibilidade variável aos agentes bloqueadores neuromusculares não despolarizantes, é recomendado o uso de uma dose inicial teste de 0,01 a 0,02 mg/kg nos neonatos. Crianças (1 a 14 anos) necessitam de dose mais alta, aproximadamente 25%. 

Compatibilidade 

Recomenda-se não misturar Brometo de Pancurônio (substância ativa) com outras soluções ou fármacos na mesma seringa ou equipo de infusão, exceto os seguintes: solução de cloreto de sódio 0,9%, solução de dextrose a 5% ou solução de Ringer lactato. 

A administração deve ser iniciada imediatamente após a mistura, devendo ser finalizada dentro das 24 horas seguintes. As soluções não utilizadas devem ser descartadas. 

Incompatibilidades 

Assim como ocorre com diversos outros fármacos, foi constatada incompatibilidade de Brometo de Pancurônio (substância ativa) quando adicionado ao tiopental. 

Não é recomendado que Brometo de Pancurônio (substância ativa) seja misturado a outras soluções ou a fármacos na mesma seringa ou frasco, exceto àquelas já citadas anteriormente como compatíveis. Se Brometo de Pancurônio (substância ativa) for administrado na mesma via de infusão utilizada para outros fármacos, é importante que a linha seja lavada adequadamente (por exemplo, com solução de cloreto de sódio a 0,9%) entre a administração de Brometo de Pancurônio (substância ativa) e dos fármacos para os quais foi demonstrada incompatibilidade ou cuja compatibilidade ainda não tenha sido estabelecida. 

As soluções remanescentes de Brometo de Pancurônio (substância ativa) devem ser desprezadas quando não utilizadas dentro de poucas horas após a abertura de seu recipiente.

Reações Adversas do Brometo de Pancurônio

As seguintes reações adversas ao Brometo de Pancurônio (substância ativa) foram relatadas e são muito raras, isto é, ocorrem com frequência de menos de 1 a cada 10.000. 

Bloqueio neuromuscular prolongado

A reação adversa mais frequente aos agentes não despolarizantes consiste na extensão da ação farmacológica do fármaco além do intervalo de tempo necessário. Esta pode variar de fraqueza da musculatura esquelética ao bloqueio neuromuscular esquelético profundo e prolongado, resultando em insuficiência respiratória ou apeia. 

Cardiovasculares

Moderada elevação da frequência cardíaca, hipotensão, broncopespasmo, débito cardíaco e taquiarritmias. Esses efeitos, que são devidos à leve ação vagolítica, cardio seletiva do fármaco, devem ser levados em consideração, particularmente quando forem administradas doses acima das recomendadas e quando se avaliar a dosagem e/ou uso de fármacos vagolíticos para a pré-medicação ou indução de anestesia. Através de sua ação vagolítica, Brometo de Pancurônio (substância ativa) antagoniza a depressãocardíaca devido ao uso de alguns anestésicos inalatórios.

Além disso, a bradicardia causada por alguns potentes anestésicos e analgésicos é corrigida pelo uso de Brometo de Pancurônio (substância ativa). Sem sedação concomitante, o uso de Brometo de Pancurônio (substância ativa) está associado à riscos psicológicos, taquiarritmias, paralisia prolongada, interações medicamentosas e desconexão do ventilador sem ser detectado. 

Oftálmicas

Apesar de não relatado durante a farmacovigilância, a literatura indica que Brometo de Pancurônio (substância ativa) pode produzir uma significativa redução na pressão intraocular normal e elevada, por alguns minutos após sua administração, e também produz miose. 

Estas alterações podem atenuar a elevação da pressão intraocular devido à laringoscopia e intubação traqueal. Brometo de Pancurônio (substância ativa) pode, portanto, ser utilizado em cirurgias oftálmicas. 

Reações anafiláticas

Embora muito raras, foram relatadas reações anafiláticas graves a agentes bloqueadores neuromusculares, incluindo Brometo de Pancurônio (substância ativa). São exemplos de reações anafiláticas/anafilactoides: Broncoespasmo, alterações cardiovasculares (ex.: Hipertensão, taquicardia, choque/colapso circulatório) e alterações cutâneas (ex.: Angioedema, urticária). Em alguns casos essas reações foram fatais. Devido à possível gravidade destas reações, deve-se sempre supor que elas podem ocorrer e tomar as precauções necessárias.

Liberação de histamina e reações histaminoides

Uma vez que os bloqueadores neuromusculares são conhecidos como capazes de induzir a liberação de histamina local ou sistemicamente, a possível ocorrência de prurido e reação eritematosa no local de injeção e/ou reações histaminoides (anafilactoides) generalizadas devem ser sempre levadas em consideração quando são administradas essas medicações.

Estudos experimentais com injeção intradérmica de Brometo de Pancurônio (substância ativa) têm demonstrado que esse fármaco tem apenas uma fraca capacidade de induzir liberação de histamina local. Estudos controlados no homem não demonstraram qualquer aumento significativo nos níveis de histamina no plasma humano após administração endovenosa de Brometo de Pancurônio (substância ativa). 

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

 

 



Assine nossa newsletter e receba as melhores promoções e ofertas de sua região




SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO DO FARMACÊUTICO OU DE SEU MÉDICO. LEIA A BULA.



Todas as informações contidas nesse site tem a intenção de informar e educar, não pretendendo de forma alguma substituir as informações e orientações do profissional da saúde ou servir como recomendação para algum tratamento, não administre qualquer tipo de medicamento sem consultar o seu médico ou farmacêutico.