azulfin


RESULTADOS: 4

  •     FARMA 22
  •      AZULFIN
  •      Apresentação: 500 MG COM REV CT BL AL PLAS INC X 60
  •      Princípio Ativo: SULFASSALAZINA...
  •      Fabricante: APSEN FARMACEUTICA S/A
  •      Categoria: Similar
  •      EAN:  7896637022729
     
    PMC: 91.09
  •      R$ 77.01
     
  •     DROGARIA PRIMUS
  •      AZULFIN
  •      Apresentação: 500 MG COM REV CT BL AL PLAS INC X 60
  •      Princípio Ativo: SULFASSALAZINA...
  •      Fabricante: APSEN FARMACEUTICA S/A
  •      Categoria: Similar
  •      EAN:  7896637022729
     
    PMC: 91.09
  •      R$ 77.72
     
  •     AGILLE MEDICAMENTOS
  •      AZULFIN
  •      Apresentação: 500 MG COM REV CT BL AL PLAS INC X 60
  •      Princípio Ativo: SULFASSALAZINA...
  •      Fabricante: APSEN FARMACEUTICA S/A
  •      Categoria: Similar
  •      EAN:  7896637022729
     
    PMC: 91.09
  •      R$ 87.71
     
  •     FARMA DELIVERY
  •      AZULFIN
  •      Apresentação: 500 MG COM REV CT BL AL PLAS INC X 60
  •      Princípio Ativo: SULFASSALAZINA...
  •      Fabricante: APSEN FARMACEUTICA S/A
  •      Categoria: Similar
  •      EAN:  7896637022729
     
    PMC: 91.09
  •      R$ 94.26
     



 INFORMAÇÕES DO MEDICAMENTO


SULFASSALAZINA


Para que serve o Sulfassalazina

Este medicamento é destinado para os seguintes casos:

Sulfassalazina (substância ativa deste medicamento) em comprimidos revestidos gastrorresistentes é indicado particularmente aos pacientes que não podem tomar comprimidos simples devido à intolerância gastrointestinal, e naqueles em que há evidência de que a intolerância não é primariamente devida a níveis sanguíneos elevados de sulfapiridina e de seus derivados, como por exemplo, pacientes sofrendo náuseas, vômitos, etc., quando tomando as primeiras doses da droga ou naqueles em que a redução da dosagem não alivia os efeitos colaterais gastrointestinais.

Contraindicação do Sulfassalazina

Você não deve utilizar sulfassalazina (substância ativa deste medicamento) nos seguintes casos:

  • Hipersenbilidade à sulfassalazina, seus metabólitos, sulfonamidas ou salicilatos.
  • Na obstrução urinária ou intestinal.
  • Pacientes com porfiria não devem receber sulfonamidas pois há relatos de que estas drogas podem precipitar um ataque agudo.

Este medicamento é contraindicado para menores de 2 anos.

A sulfassalazina está classificada na categoria B de risco na gravidez.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Como usar o Sulfassalazina

Uso Adulto

A dosagem de sulfassalazina (substância ativa deste medicamento) deve ser ajustada de acordo com as reações e tolerâncias individuais.

O produto deve ser administrado em doses divididas igualmente a cada período de 24 horas, por via oral; os intervalos entre as doses noturnas não devem exceder 8 horas.

Sempre que possível, os comprimidos devem ser administrados após as refeições com copo cheio de água.

Experiências sugerem que com dosagens diárias de 4 g ou mais, a incidência de reações adversas tende a crescer. Portanto, pacientes que estejam recebendo essa dosagem devem ser cuidadosamente observados e advertidos sobre o aparecimento dessas reações.

Vários regimes de dessensibilização foram relatados como efetivos em diferentes grupos de pacientes.

Sobre a reinstituição da terapia, os regimes compreendem a uma dose diária total de 50 a 250 mg que devem ser dobradas a cada 4 a 7 dias até que se alcance o nível terapêutico desejado.

Se houver recorrência dos sintomas de sensibilidade, a administração do produto deve ser descontinuada.

A dessensibilização não deve ser tentada nos pacientes com história de agranulocitose ou que tenham sofrido reação anafilactóide durante ou previamente ao curso do tratamento com sulfassalazina (substância ativa deste medicamento).

Doses Usuais

Tratamento Inicial

Iniciar com 3 a 4 g diários em doses divididas igualmente, por via oral.

Em alguns casos é mais prudente iniciar o tratamento com dosagem menor, por exemplo, 1 a 2 g diários, para diminuir efeitos gastrointestinais adversos.

Se as doses diárias necessárias para alcançar os efeitos desejados excederem 4 g, deve-se considerar o risco de toxicidade aumentado.

Tratamento de Manutenção

Administrar 2 g diários, por via oral.

A resposta ao tratamento e os ajustes da dosagem devem ser determinados através de exames periódicos. Geralmente é necessário continuar a administração, mesmo quando os sintomas clínicos, incluindo diarreia, já estiverem controlados.

Quando o exame endoscópico confirmar uma melhora satisfatória, a dosagem é reduzida ao nível de manutenção.

Se a diarréia ocorrer, a dosagem deve ser elevada para os níveis efetivos anteriores.

Se os sintomas ocorrerem após os primeiros dias de tratamento, serão devidos provavelmente ao aumento dos níveis plasmáticos totais de sulfapiridina, e podem ser aliviados com a administração da metade da dose, a qual pode ser aumentada gradualmente após alguns dias. Se os sintomas persistem, a droga deve ser descontinuada por 5 a 7 dias, reinstituindo-se o tratamento com a menor dose diária.

  • Limite máximo diário: para adultos é de 12 g ao dia ou 500 mg a cada hora.

Siga a orientação de seu médico, respeitando os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O uso inadequado do medicamento pode mascarar ou agravar os sintomas.

Consulte um clínico regularmente. Ele avaliará corretamente a evolução do tratamento. Siga corretamente suas orientações.

 

 



Assine nossa newsletter e receba as melhores promoções e ofertas de sua região




SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO DO FARMACÊUTICO OU DE SEU MÉDICO. LEIA A BULA.



Todas as informações contidas nesse site tem a intenção de informar e educar, não pretendendo de forma alguma substituir as informações e orientações do profissional da saúde ou servir como recomendação para algum tratamento, não administre qualquer tipo de medicamento sem consultar o seu médico ou farmacêutico.